Arquivo

Posts Tagged ‘medicina’

O mito da Pressão Alta

De Dr. Rondó

Já não é de hoje que eu venho dizendo que a pressão alta não é a causadora de doenças cardíacas! E, sim, você leu direito.

2013-08-12Apesar do que a medicina insiste em dizer, a evidência mostrando uma ligação linear conclusiva entre a pressão sanguínea elevada e a incidência de doenças cardíacas é quase inexistente. Aliás, os dados da maioria dos estudos sobre o tema sugerem que…

…a hipertensão é um sintoma de doença cardiovascular e não a sua causa!

Quase todos na comunidade médica concordam que a doença cardiovascular é resultado, em grande parte, do acúmulo de placa nas artérias, o que reduz o seu diâmetro e por sua vez faz com que o sangue que passa por elas tenha a pressão aumentada.

Aqui está uma boa analogia: quando você liga a torneira fora de casa, a água fluindo do esguicho voa uns 10 metros ou mais. Por quê? Porque está sob muita pressão depois de ser forçada para dentro de um minúsculo esguicho de 2,5 centímetros. Mas o que aconteceria se aquele esguicho fosse de 30 centímetros de diâmetro? O mesmo exato volume de água escoaria em uma pressão muito baixa.
Com seu coração e artérias isso não é diferente! A sua pressão sanguínea aumenta em resposta à compressão arterial e não por causa dela. Elevar a pressão sanguínea é a maneira que o seu coração tem para compensar os “esguichos” congestionados, assegurando que os seus órgãos, cérebro e extremidades sejam adequadamente supridos de sangue. Quando olhamos desta maneira, não faz sentido tentar artificialmente abaixar a sua pressão sanguínea usando medicações prescritas.

Tudo o que realmente precisa ser feito se resume a uma dieta rica em gorduras ômega 3 e escassa em carboidratos e gorduras trans, e tomar água que esteja livre de cloro (que causa lesões arteriais microscópicas que captam e seguram o colesterol que aumenta a pressão sanguínea). E atenção! O flúor na água não é exatamente uma vitamina F. É provavelmente um fator principal nas doenças cardiovasculares.

Restrição do sal é mais do que desnecessária. É completamente perigosa!

A restrição do sal em casos de hipertensão tem se tornado uma das “pérolas de sabedoria” que ninguém questiona. Uma restrição severa de sal para pessoas doentes ou sadias é uma prática perigosa e pode de fato causar mais problemas do que trazer soluções.

Somente aproximadamente um terço dos pacientes de hipertensão é sensível ao sal e foi diagnosticado com baixos níveis de renina, o hormônio renal que regula a pressão sanguínea. Nestas pessoas, a restrição do sal aumenta o nível de renina. Então, alguma, mas não uma drástica restrição do sal, pode melhorar o controle da hipertensão nestes pacientes.

Entretanto, para a maioria remanescente das pessoas que lutam com a hipertensão que não são sensíveis ao sal e de fato tem um nível alto de renina, restringir o sal tem o efeito contrário e pode fazer o nível de pressão sanguínea subir mais ainda.

Além disso, mesmo nos estudos que ilustram a redução na pressão sanguínea com a restrição do sal (Estudos Sobre a Prevenção da Hipertensão – ESPH), a pressão reduzida não pôde ser mantida. O Dr. George S. Chrysant, líder na pesquisa sobre a hipertensão, comentou que os resultados da ESPH mostraram que a “perda de peso era mais eficaz na redução da pressão sanguínea do que a redução do sódio, e que os efeitos das duas intervenções se dissipavam com o passar do tempo”. Ele concluiu que os resultados menos do que estelares dos estudos “levantam questões sobre a utilidade geral da redução do sódio para a hipertensão na população geral”.

A redução da pressão sanguínea pela restrição do sal é inconsistente e incerta. Mas, há uma crítica bem pior sobre isso. Os estudos mostraram que a restrição do sal pode estar ligada a danos para os órgãos. Se o coração e os rins são danificados pela hiponatremia (baixo sódio sanguíneo), você pode piorar a hipertensão. A restrição do sal nos meses do verão pode levar à exaustão pelo calor e a um severo distúrbio mineral que causa desmaios e às vezes a um derrame ou um enfarto.
O sal é um nutriente necessário, exatamente como a vitamina A, os ácidos graxos e o colesterol. O seu corpo precisa de quantias adequadas para sobreviver. A maioria das pessoas pensa no sódio como se fosse algum tipo de veneno. Entretanto, o sódio funciona bem com outros nutrientes importantes como o cálcio e o potássio para manter o corpo funcionando em níveis ideais.
Continua.
Referências Bibliográficas:
– Scientific American. July 8, 2011
– Int. Urol Nephrol. 2009
– Hypertension. June 1995
– Approaches to Reducing Sodium Consumption; Establishment of Dockets; Request for Comments, Data, and Information. September 15, 2011
– New England Journal of Medicine. April 17, 1997
– American Journal of Hypertension 2011 Aug; 24 (8): 843-53.
– JAMA. 2011; 305 (17): 1777-1785.
– Metabolism – Clinical and Experimental November 1, 2010
– See more at: http://drrondo.com/o-mito-da-pressao-alta#sthash.qYFD0moP.kEMeFWfr.dpuf

Sabe o que é “Suicídio Científico”? (3)

A Ciência está nos matando, se você está acreditando ou não!

Como espécie estamos cometendo suicídio, pois permitimos que a ciência domina a nossa medicina, agricultura, alimentação e indústrias de defesa. Na medida em que permitimos que os cientistas usam o mundo para suas experiências perigosas sem os testes adequados – as vacinas da gripe, por exemplo, nunca foram cientificamente testadas a respeito da segurança ao longo prazo – estamos apenas cavando mais rapidamente a nossa própria sepultura! Precisamos aprender a acorrentar as cegas ambições de cientistas arrogantes que querem “brincar de Deus”. Caso contrário, os objetivos irresponsáveis da “Ciência sem Sabedoria” necessária vão levar-nos a nossa própria morte.

2013-08-07Em seguida, podemos esperar que em nome da ciência surgem Robô-Drones – um novo tipo de máquinas-terminadoras (Drones Al não tripuladas), que podem sem pensar lançar bombas sobre uma população civil, ou atirar neles. Tais Drones são desenvolvidos, naturalmente, em nome da “ciência” ou da “paz”, com todas suas estranhas fantasias egocêntricas dos inventores, que apesar dos seus intelectos superiores, nunca conseguiram estudar a história da humanidade.

E se não somos atingidos pelos Drones, então a nanotecnologia pode significar a nossa morte. Os cientistas já estão testando esta perigosa tecnologia, e se apenas um de tais experiências leva a um resultado do auto-replicante “grey goo” (lodo cinza), todo o nosso mundo seria inevitavelmente engolido pelas máquinas microscópicas de auto-replicantes. Em comparação, a GMs (geneticamente modificados) são relativamente inofensivos.

Se quisermos sobreviver, temos de forçar a “Ciência” de se limitar pelo Principio de Precaução! Pois sua ética e moral já esqueceram faz muito tempo!

Se quisermos superar esta ganância interminável, arrogância e ambição dos cientistas de hoje – cujo trabalho mais parece como manuseio de crianças pequenas com lança-chamas em vez de um comportamento de adultos maduros – então devemos forçar a ciência, a submeter-se ao Princípio da Precaução.

O princípio da precaução significa que temos de exigir em experimentos com a natureza de sempre agir no lado seguro e não olhar apenas os lucros. Em termos práticos, isto significa que jamais devemos deixar soltos programas genéticos de auto-replicação (OGM) no mundo e permitir que as sementes experimentais são dispersas pelo vento sobre o continente inteiro.

Nunca devemos construir Usinas Nucleares altamente radioativos onde a eletricidade é necessária para bombas do sistema emergencial para evitar um colapso nuclear. Tais sistemas devem ser concebidos de modo que elas são desligadas durante uma falha de energia, de modo que o núcleo do reator não entra em estado crítico.

Nós nunca devemos pulverizar produtos químicos sintéticos sobre culturas de terras e solos aráveis para matar insetos, se não sabemos o impacto de tais neurotoxinas ao longo prazo no ecossistema.

O princípio da precaução reconhece que a civilização humana é vulnerável e, que experiências que soam cientificas, podem reagir enlouquecido de uma maneira que não se pode prever nem com a mente mais brilhante e com as melhores intenções.

Tecnologia sem sabedoria é suicídio!

Continua.

Imagem: blogdofovest.folha.blog.uol.com.br

Sabe o que é “Suicídio Científico”? (2)

Além do já dito anterior, há uma outra constatação mais profunda: a maioria destes chamadas “Ciências” são apenas Ciências Fraudulentas de charlatões, distorcidas por corporações gananciosas.

A verdadeira ciência é a busca do conhecimento, não a busca apenas do lucro!

2013-08-06Mas hoje em dia é difícil de encontrar ciência verdadeira. A maioria do que acontece é a ciência em nome das empresas com o único objetivo de alcançar o poder para dominar mercados e maximizar lucros.

Na medicina, por exemplo, não se trata de buscar novas drogas para ajudar as pessoas, mas principalmente para aumentar o seu lucro trimestral. Mas isso você já sabia. Apenas os mais ingênuos ainda acreditam que a “Big Pharma” se interessa honestamente pelo bem dos doentes e curar doenças.

No mundo dos OGM (Organismos Geneticamente Modificados) não importa “alimentar o mundo”, como é ridiculamente alegado pelos corruptos e criminosos defensores. Pelo contrário, eles querem “possuir o mundo” e utilizam alimentos como armas contra os povos do mundo. Quem governa o abastecimento de alimentos, em última análise domina tudo e todos. A Monsanto está absolutamente determinado a dominar o mundo, …não para alimentá-lo.

Também as vacinas não são desenvolvidos para prevenir doenças e melhorar a saúde em geral. Melhorias sanitárias e suplementos de vitamina D por preços bem mais baratas poderiam evitar facilmente doenças infecciosas. Vacinas somente servem para duas coisas: 1. Controle da população e 2. para negócios posteriores da indústria farmacêutica, especialmente para combater os efeitos adversos da vacinação anterior. (Vacinas causam danos, entre outros órgãos, principalmente fígado, rim, cérebro e intestinos).

Pergunta: Porque uma vacina tem que conter Mercúrio, que só pode fazer mal ao organismo humano?

A “ciência praticada” hoje, é uma ciência de dominação e controle. Ela quase nunca é utilizado para fins humanitários, quer dizer para ajudar os seres humanos. Mesmo todo o sistema de “propriedade” intelectual de patentes e marcas é usado para colocar os monopólios corporativos acima da inovação. Assim, o acesso a essas inovações é negado ao público em geral. Leis de propriedade intelectual foram distorcidas e exploradas pelas grandes corporações para sequestrar o processo de inovação e eliminar a concorrência. Em última análise, todas as empresas querem um monopólio mundial sobre o seu setor de indústria.

Universidades, onde antigamente a pesquisa real em pro da humanidade era valorizada, hoje recebem e se aproveitaram do dinheiro do contribuinte, para desenvolver produtos químicos patenteáveis, que são licenciadas pelas empresas farmacêuticas (ou fabricantes de pesticidas). Em troca, as universidades recebem doações que as tornam mais ricas.

Como resultado dessas tendências, a “ciência” é hoje sinônimo de corrupção, desonestidade, ganância e morte. “Cientistas” – pessoas que praticam tal ciência – são Engenheiros da Morte; suas inovações até podem trazer a curto prazo benefícios, mas muitas vezes – a longo prazo – levam a morte e destruição. Por exemplo, a herbicida “Roundup” destrói o solo e promove o desenvolvimento de “super ervas daninhas”, resistente a pesticidas. No campo da biologia humana vemos esse resultado – morte e destruição – no abuso generalizado de antibióticos e o aumento alarmante em “Bactérias Multi-Resistentes”, MRSA, e outros “Super-Germes”.

Tais inovações “científicos” – é claro – foram desenvolvidas por pessoas bem-intencionadas que não tinham a intenção de produzir perdas de colheitas frequentes e infecções por estafilococos resistentes a antibióticos. Mas, porque eles fizeram exatamente isso, eles tornaram-se com boas intenções especialistas daquilo que o diabo gosta.

A ciência está nos matando.

Continua.

Imagem: horoscopoblog.com.br

%d blogueiros gostam disto: