Arquivo

Posts Tagged ‘previsão anual’

Astrologia Kármica – Mapa Astral Kármico

março 14, 2012 2 comentários

Você já viu seu mapa astral?

Qualquer serviço astrológico se baseia principalmente em 4 pontos:

– 12 signos como matrix ou princípios arquétipos,

– 12 planetas como energias (12, pois Vênus e Mercúrio regem 2 signos),

– 12 casas como campos em que estas energias agem e

– finalmente inúmeros aspectos entre os planetas e suas reações.

Quando falamos das “influencias”, precisamos esclarecer um ponto muito importante: Planetas não têm influencias no sentido comum, mas sempre expressam princípios primordiais, princípios arquétipos. Cada planeta representa neste sentido um desses princípios que pode ser simbolicamente ativado com aspectos harmônicos e desarmônicos em conjunto com os demais.

Signos, planetas e casas do mesmo potencial de ação representam sempre o mesmo princípio, porem num outro grau dentro do mesmo tema de uma analogia vertical. Um exemplo deve eliminar qualquer duvida: Signos significam idéias (de um arquiteto) ainda não manifestadas, planetas são os planos e energias para sua realização, e as casas são os campos, onde e como tudo se materializa.

Para ser bem claro: astrologia nunca será o ensinamento dos astros, mas dos princípios arquétipos! Porém, nos astros podemos reconhecer e praticar estes princípios. Se uma situação prevista realmente acontecerá, depende de vários fatores, principalmente do estado de espírito atual e do crescimento da alma desde o nascimento.

Enquanto o mapa astral de nascimento indica o karma deste exato momento com todas suas tarefas e o programa de aprendizagem para toda uma vida, a previsão anual indica aqueles momentos em que certos princípios devem se realizar. Mas o Universo reconhece cada mudança, cada passo em direção a evolução do espírito e da alma, considerando assim, se especialmente aspectos desarmônicos ainda estão necessários ou não para a evolução da alma. Com outras palavras, quando uma alma já absolveu de livre e espontânea vontade algo que era necessário de aprender, o principio não será mais importante de agir ou somente de uma maneira mais suave.

Podemos assim comparar a astrologia com um instrumento de medição da realidade, que mede, mas não produz o evento. Como um termômetro, que mede a temperatura, mas não produz a febre. Astrologia mede a qualidade do tempo de qualquer momento e não a quantidade.

Falando de tempo, é normal de pensar em uma medida quantitativa, mas seu pólo oposto é a qualidade do tempo que tem muito mais peso na astrologia.

Para saber algo de uma certa pessoa em sua vida, pode fazer sinastria que fornece todos os dados do relacionamento: amor e casamento, atração e compatibilidade, equilíbrio de temperamento e tipo, harmonia mental e emocional, duração de um relacionamento; e a posição de Saturno com o karma de um com o outro.

Alem disso, a astrologia medica pode fornecer dados sobre predisposições de doenças, karmicamente previstas. Isso necessita uma explicação: como aspectos tensos e desarmônicos são provas e tarefas para esta vida, sua desobediência requer alguma compensação para que você termina o programa de aprendizagem, ou seja voluntariamente ou então forçado.

P.S. Dados necessários para seu mapa astral: nome, país, cidade, data e hora exata do nascimento e país em que vive.

Imagem: astrologiakarmica

Qual é o sentido da Astrologia?

janeiro 31, 2012 Deixe um comentário

Para deixar bem claro: queremos falar de astrologia kármica de reencarnação e não de horóscopos diários de conteúdo duvidoso e muitas vezes ridículo e outros tipos de astrologia de baixa qualidade.

Astrologia séria é milenar e a mãe de qualquer ciência. Sempre será uma disciplina esotérica e jamais ciência, pois trata-se de ensinamentos, ensinamentos divinos longe antes do surgimentos de qualquer ciência. E mais uma coisa: astrologia sem reencarnação perde completamente sua base, pois não pode explicar passado, presente e futura, bem com saúde e doenças, pobres e ricos e todas as diferencias sociais. Sem reencarnação, sem karma, Deus somente se torna um Deus medíocre, raivoso e vingativo – como algumas religiões ensinam – e deixe ser um Deus generoso e de amor.

Como se podia pensar, a astrologia não é o ensinamento dos astros, mas se trata de princípios primordiais, princípios arquétipos de origem divina.

É para destruir mais um paradigma: os astros não tem influencias do tipo como a maioria dos astrólogos está falando. Evidentemente, Sol e Lua tem uma influencia física, o Sol para fornecer luz e calor, sem o que a vida como nos conhecemos não seria possível, e a Lua com sua proximidade e consequente força gravitacional, responsável, por exemplo, pelas marés.

Então, para que servem os astros?

Podemos comparar a astrologia com um instrumento de medição da realidade, que mede, mas não produz os eventos. Como um termômetro, que mede a temperatura, mas não produz a febre. Astrologia mede a qualidade do tempo de qualquer momento e não a quantidade.

Falando de tempo, é normal de pensar somente em uma medida quantitativa, mas seu pólo oposto é a qualidade do tempo que tem muito mais peso na astrologia.

O grande presente de Deus ao ser humano acontece no exato momento do seu nascimento: Deus desenha seu destino bem visível com astros no céu para que ele pode ler o que o espera nesta vida. Cabe ao homem de decifrar a escrita divina. Isso com certeza não acontece em 3 linhas de um horóscopo diário de algum jornal.

E mais: com a Previsão Anual das progressões e dos trânsitos podemos ver, quando um certo evento, previsto no mapa astral, pode acontecer.

A Sinastria serve para comparar compatibilidades das relações entre as pessoas como amor e casamento, atração, equilíbrio e harmonia de temperamento e tipo, concordância mental, reencontros kármicos, laços familiares e outros mediante as posições e aspectos de todos os planetas, sempre sobre o foco especial da reencarnação.

Cada bom astrólogo kármico deveria incluir astrologia médica, pois faz parte como o karma se pronuncia.

Imagens: horoscopoblog.com.br, astrologiakarmica.com,

Karma e Reencarnação: Superar a Cegueira Espiritual (2)

julho 23, 2011 1 comentário

O que acontece normalmente nesta etapa tão importante?

Há pelo menos duas possibilidades. Para aquelas pessoas já bem evoluídas e com sua espiritualidade acentuada, a interpretação kármica de reencarnação sempre é uma revelação única e provavelmente algo que as incentiva de aceitar suas provas kármicas com coragem e consciência.

Assim, autoconhecimento e consciência se unem para uma percepção superior da sua alma e os objetivos desta atual reencarnação. Desta maneira, elas recebem do próprio Universo forças suficientes para superar melhor e mais rápido seu karma. Em alguns casos, simplesmente com a consciência dos fatos, provas difíceis desaparecem milagrosamente. As vezes, esta consciência e sensibilidade possibilitam a abertura do “Terceiro Olho”, dando lugar a uma surpreendente clarividência, ate este momento desconhecida. Pelo menos significa uma empurrão em direção da evolução espiritual.

A outra possibilidade é mais dolorosa pela falta de compreensão e espiritualidade, mas mesmo assim um bom começo, pois abre uma porta que ainda não existia. Quem, nesta situação, ativa sua intuição, deixe as duvidas e incertezas para trás e confia num novo caminho, numa outra alternativa alem da estritamente material – inclusive os problemas – e tenta de lembrar do que realmente é, pode se surpreender positivamente. Por isso serve a interpretação, mas tem que superar uma primeira barreira, a da acostumada cegueira e usar seu mente e seu raciocínio para descobrir o que há ainda de bom e como escolher outros caminhos.

Tentar estar feliz é o desejo de todos e porque não? Não há nada contra isso, nem de ganhar um bom dinheiro e tem bens materiais, mas tem que saber que isso não é tudo e, principalmente, não o mais importante desta vida. Infelizmente, este ponto se esquece quando a vida material vai bem demais e o karma por intervenção do Universo quer corrigir seus caminhos.

Quem já faz esforços para enfrentar e superar seu karma voluntariamente, não tem nada a temer, pois os desafios necessários se apresentam numa maneira bastante harmonioso como um pobre que pede esmola. Esta é uma chance de mostrar quem você é. Se você dá algumas moedas sem pensar, você passou pela prova. Se você pensa muito ou vira as costas, simplesmente não passou. (Bem, hoje em dia, tem que considerar também os assaltos.)

Quem, porem, se dedica somente a vida material e esquece da sua alma espiritual que encarnou para evoluir, escolheu o caminho das provas difíceis e forçadas. Neste caso pode ver dos aspectos dos planetas numa Previsão Anual o que e vai acontecer e quando. Muito simples.

Imagem: luzdavida.org.br, luzparaviver.blogspot.com,

O que você pode esperar de uma interpretação kármica? (5)

Você já sabia disso?

Quando falo das “influencias”, preciso esclarecer um ponto muito importante: Planetas não têm influencias no sentido comum, mas sempre expressam princípios primordiais, princípios arquétipos. Cada planeta representa neste sentido um desses princípios que pode ser simbolicamente ativado com aspectos harmônicos e desarmônicos em conjunto com os demais.

Signos, planetas e casas, que pertencem a mesma classe, representam o mesmo princípio, porem num outro grau dentro do mesmo tema de uma analogia vertical. Exemplo: Aries, Marte e a primeira casa.

Signos significam idéias (de um arquiteto) ainda não manifestadas, planetas são os planos e energias para sua realização, e as casas são os campos, onde e como tudo se materializa.

Para ser bem claro: astrologia nunca será o ensinamento dos astros, mas dos princípios arquétipos! Porem, nos astros podemos reconhecer e praticar estes princípios. Se uma situação prevista realmente acontecerá, depende de vários fatores, principalmente do karma acumulado, do estado de espírito atual e do crescimento voluntario da alma nesta vida.

Enquanto o mapa astral de nascimento indica o karma deste exato momento do primeiro grito com todas suas tarefas e o programa de aprendizagem para toda uma vida, a previsão anual indica aqueles momentos em que certos princípios devem se realizar. Mas o Universo – como Deus em ação – reconhece cada mudança, cada passo em direção a evolução do espírito e da alma, considerando assim, se especialmente aspectos desarmônicos ainda estão necessários ou não para a evolução da alma. Com outras palavras, quando uma alma já absolveu de livre e espontânea escolha algo que era necessário de aprender, o principio não será mais importante de agir ou somente de uma maneira mais suave.

Podemos assim comparar a astrologia com um instrumento de medição da realidade, que mede, mas não produz o evento. Como um termômetro, que mede a temperatura, mas não produz a febre. Astrologia mede a qualidade do tempo de qualquer momento e não a quantidade.

Falando de tempo, é normal de pensar em uma medida quantitativa, mas seu pólo oposto é a qualidade do tempo que tem muito mais peso na astrologia.

Imagem: http://www.astrologiakarmica.com

Seu Mapa Astral Kármico

maio 21, 2011 1 comentário

O mapa astral é sempre algo inédito, pois nunca mais necessita repetir. Assim se torna muito importante para você: o plano de vida com todas as tarefas e acontecimentos para esta reencarnação. Tudo que você vai ler, é você, seu destino e principalmente as saudades mais profundas da sua alma, pois ela, como centelha de um único Criador, quer se aperfeiçoar para evoluir vida atras vida para finalmente voltar para a casa do nosso Pai.

Muitas tarefas e pedras no caminho podem atrapalhar, mas tem que ser superadas, afinal você mesmo desejou assim antes de se reencarnar de novo. Todos os fatos e acontecimentos importantes em sua vida devem estar no mapa astral e isso inclui também algumas pessoas do seu ambiente com quem você já teve contato em outras vidas.

O mapa astral de nascimento, as vezes, não indica quando e se realmente um evento previsto vai acontecer, porque sua alma, seu Eu Superior, está em permanente evolução e já pode ter superado algo que era tarefa inicial.

Saber é Poder! Você deve conhecer essas palavras. Não se deixe limitar por uma realidade aparente que é dominada pelo impossível, vai em frente e prove que tem condições de desvendar seu ser espiritual.

E mais uma coisa: não se irrite, se você não entende tudo na primeira vez. Tenha paciência com você mesmo, se você ainda não tem a afinidade com as palavras do texto. Algo que você não entenda hoje, amanha vai se abrir para você.

Falando das “influencias”, precisa saber um ponto muito importante: Planetas não têm influencias no sentido comum, mas sempre expressam princípios primordiais, princípios arquétipos. Cada planeta representa neste sentido um desses princípios que pode ser simbolicamente ativado com aspectos harmônicos e desarmônicos em conjunto com os demais.

Signos, planetas e casas do mesmo conjunto representam sempre o mesmo princípio, porem num outro grau dentro do mesmo tema de uma analogia vertical. Um exemplo deve eliminar qualquer duvida: Signos significam idéias (de um arquiteto) ainda não manifestadas, planetas são os planos e energias para sua realização, e as casas são os campos, onde e como tudo se materializa.

Para ser bem claro: astrologia nunca será o ensinamento dos astros, mas dos princípios arquétipos! Porem, nos astros podemos reconhecer e praticar estes princípios. Se uma situação prevista realmente acontecerá, depende de vários fatores, principalmente do seu estado de espírito atual e do crescimento da alma desde o nascimento.

Enquanto o mapa astral de nascimento indica o karma deste exato momento com todas suas tarefas e o programa de aprendizagem para uma vida inteira, a previsão anual indica aqueles momentos em que certos princípios devem se realizar. Mas o Universo reconhece cada mudança, cada passo em direção a evolução do espírito e da alma, considerando assim, se especialmente aspectos desarmônicos ainda estão necessários ou não para a evolução da alma. Com outras palavras, quando uma alma já absolveu de livre e espontânea vontade algo que era necessário de aprender, o principio não será mais importante de agir ou somente de uma maneira mais suave.

Podemos assim comparar a astrologia com um instrumento de medição da realidade, que mede, mas não produz o evento. Como um termômetro, que mede a temperatura, mas não produz a febre. Astrologia mede a qualidade do tempo de qualquer momento e não a quantidade.

Falando de tempo, é normal de pensar em uma medida quantitativa, mas seu pólo oposto é a qualidade do tempo que tem muito mais peso na astrologia.

Para saber algo de uma certa pessoa em sua vida, pode fazer sinastria que fornece todos os dados do relacionamento: amor e casamento, atração e compatibilidade, equilíbrio de temperamento e tipo, harmonia mental e emocional, duração de um relacionamento; e a posição de Saturno com o karma de um com o outro.

Alem disso, a astrologia medica pode fornecer dados sobre predisposições de doenças. Isso necessita uma explicação: como aspectos tensos e desarmônicos são provas e tarefas para esta vida, sua desobediência requer alguma compensação kármica para que você termina o programa de aprendizagem, ou seja voluntariamente ou então forçado.

Imagem: miraflores.olx.pt, magianegra.com.pt, portocity.olx.pt,

%d blogueiros gostam disto: