Arquivo

Posts Tagged ‘tumor maligno’

Quimioterapia de Câncer de Mama

setembro 22, 2013 Deixe um comentário

O que você tem que saber: Quimioterapia de Mama danifica o cérebro!

Normalmente, não se suspeita que câncer de peito primário – tumor maligno ainda sem ter se espalhado – causa problemas neurológicos. E como pode acontecer isso, se o câncer ainda não alcançou o cérebro? No entanto, os cientistas estão tentando descobrir,  porque nos últimos anos o numero de mulheres com câncer de peito aumentou e que correm risco maior de não apenas ter problemas com sua função do cérebros, mais pior, alterações reais na estrutura do cérebro.

2013-09-22Segundo a ultima edição de Novembro da revista “Archives of Neurology”, o provável causador nem é o próprio câncer, mas o tratamento de câncer de peito com a quimioterapia, resultando em consideráveis deficiências, como foi observado em pacientes deste tipo de câncer.

Dr. Shelli R. Kesler e colegas da Standard University of Medicine in California pesquisaram num estudo empírico, se o padrão das atividades cerebrais das sobreviventes de câncer de peito, que sofreram de quimioterapia, difere com aquelas mulheres que não foram tratadas com quimioterapia.

Além disso, os pesquisadores compararam as atividades cerebrais destas sobreviventes de câncer de mama com mulheres saudáveis, que não estavam com câncer.

Em total, foram 25 mulheres com câncer de peito, tratadas com quimioterapia, 19 mulheres com câncer de peito sem quimioterapia e mais 19 mulheres saudáveis como grupo de controle. A respeito de idade e outros variáveis, todas as mulheres eram comparáveis. Enquanto as mulheres resolveram vários testes e tarefas, os pesquisadores documentaram com ressonância magnética as atividades de varias áreas do cérebro.

As mulheres com câncer de mama mostraram, em comparação com o grupe de controle das mulheres saudáveis, uma considerável limitação do córtex pré-frontal dorso lateral e córtex pré-morto.

O grupo das mulheres tratadas com quimioterapia mostra, além dos resultados do grupo anterior, ainda uma considerável deficiência de atividade do córtex pré-frontal caudal lateral esquerdo e um numero maior de erros repetitivos e velocidade reduzida.

 

Isso quer dizer o que? Os pesquisadores chegaram à conclusão de que câncer primário de peito pode levar a danos cerebrais, mas que a função do cérebro pode ser muito mais prejudicada com quimioterapia, especialmente de mulheres mais velhas e de baixo grau de educação.

Mulheres tratadas com quimioterapias podem sofrer adicionalmente de déficits pré-frontais e elas tem maiores dificuldades de equilibrar alterações neurobiológicas, como por exemplo, falhas de funções executivas.

Esta ultima deficiência é especialmente preocupante, pois faz parte fundamental da função normal do cérebro. A função executiva inclui uma memória de trabalho e de recuperabilidade (a habilidade de considerar fatos na solução de problemas e considerar fatos armazenados na memória de longo prazo); atenção e a capacidade, levar tarefas a sua conclusão; controle emocional como pensar antes de falar e de agir, auto-fala para controle comportamental, bem como a resolução de problemas complexos, incluindo a análise e desenvolvimento de novas ideias.

 Imagem: bacabeiraemfoco.blogspot.com

Fontes:

S. L. Baker

Archneur.ama-assn.org

Pubs.ama-assn.org

NaturalNews

Anúncios

O que você tem que saber: Quimioterapia de Câncer…

dezembro 20, 2011 2 comentários

… de Mama danifica o cérebro!

Normalmente, não se suspeita que câncer de peito primário – tumor maligno ainda sem ter se espalhado – causa problemas neurológicos. E como pode acontecer isso, se o câncer ainda não alcançou o cérebro?

No entanto, os cientistas estão tentando descobrir porque nos últimos anos o numero de mulheres com câncer de peito aumentou e que correm o risco maior de não apenas ter problemas com sua função do cérebro, mas pior, alterações reais na estrutura do cérebro.

Segundo a ultima edição de Novembro da revista “Archives of Neurology”, o provável causador nem é o próprio câncer, mas o tratamento de câncer de peito com a quimioterapia, resultando em consideráveis deficiências, como foi observado em pacientes deste tipo de câncer.

Dr. Shelli R. Kesler e colegas da Standard University of Medicine in California pesquisaram num estudo empírico, se o padrão das atividades cerebrais das sobreviventes de câncer de peito, que sofreram de quimioterapia, difere com aquelas mulheres que não foram tratadas com quimioterapia.

Além disso, os pesquisadores compararam as atividades cerebrais destas sobreviventes de câncer de mama com mulheres saudáveis, que não estavam com câncer.

Em total, foram 25 mulheres com câncer de peito, tratadas com quimioterapia, 19 mulheres com câncer de peito sem quimioterapia e mais 19 mulheres saudáveis como grupo de controle. A respeito de idade e outros variáveis, todas as mulheres eram comparáveis. Enquanto as mulheres resolveram vários testes e tarefas, os pesquisadores documentaram com ressonância magnética as atividades de varias áreas do cérebro.

As mulheres com câncer de mama mostraram, em comparação com o grupe de controle das mulheres saudáveis, uma considerável limitação do córtex pré-frontal dorsolateral e córtex pré-motor.

O grupo das mulheres tratadas com quimioterapia mostra, alem dos resultados do grupo anterior, ainda uma considerável deficiência de atividade do córtex pré-frontal caudal lateral esquerdo e um numero maior de erros repetitivos e velocidade reduzida.

Isso quer dizer o que? Os pesquisadores chegaram à conclusão de que câncer primário de peito pode levar a danos cerebrais, mas que a função do cérebro pode ser muito mais prejudicada com quimioterapia, especialmente de mulheres mais velhas e de baixo grau de educação.

Mulheres tratadas com qimioterapias podem sofrer adicionalmente de déficits pré-frontais e elas tem maiores dificuldades de equilibrar alterações neurobiológicas, como por exemplo, falhas de funções executivas.

Esta ultima deficiencia é especialmente preocupante, pois faz parte fundamental da função normal do cerebro. Afunção executiva inclui uma memória de trabalho e de recuperabilidade (a habilidade de considerar fatos na solução de problemas e considerar fatos armazenados na memória de longo prazo); atenção e a capacidade, levar tarefas a sua conclusão; controle emocional como pensar antes de falar e de agir, auto-fala para controle comportamental, bem como a resolução de problemas complexos, incluindo a análise e desenvolvimento de novas idéias.

Imagem: o-cancer-de-mama.blogspot.com

Fontes:

S. L. Baker

Archneur.ama-assn.org

Pubs.ama-assn.org

NaturalNews

%d blogueiros gostam disto: